Conta as bênçãos

“Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que nos abençoou com todas as bênçãos espirituais nas regiões celestiais em Cristo”. Efésios 1:3

Alguns meses atrás, recebi uma mensagem de um amigo muito querido que estava enfermo, precisando de tratamento e repouso. Ficamos algum tempo trocando mensagens e conversamos sobre amigos em comum que se foram nestes dias, não só pela pandemia, mas também, por outras doenças. Mal sabíamos que a sua enfermidade iria piorar muito e a luta pela sobrevivência seria o seu alvo por muitos meses. Mas, naquele dia, desanimado, ele me disse que estava cansado de tanto sofrimento e de tantas tristezas. Então, eu tentei fazer com que ele, também, enxergasse as bênçãos em meio a tudo isso. Nesse momento, nossa conversa mudou de rumo e acabamos concordando que temos sido abençoados diariamente com tanto cuidado dispensado por Deus. Hoje, ele tem contado, dia a dia, com esse cuidado nos pequenos detalhes.

Costumo ouvir sermões enquanto estou preparando o almoço, na tranquilidade da cozinha. Práticas antigas que, com o passar do tempo, vêm sendo restauradas. O prazer de cozinhar, de ouvir música ou sermões enquanto corto a carne, tempero o arroz, a salada, tornam a manhã produtiva, em todos os sentidos. Gosto muito de ouvir um famoso pregador que tem, realmente, o dom da palavra. Em uma de suas ilustrações, ele contou sobre um culto transmitido via internet, no qual o pastor colhia o testemunho das pessoas enfatizando muito a cura e a prosperidade. Ele falava para quem ia passando: “Conta a bênção, meu irmão”. E o irmão ou irmã contava a cura, ou um emprego, ou o dinheiro que chegou na hora certa e uma infinidade de coisas boas que tinham recebido. Até que chegou uma senhora, já idosa que, com alegria estampada no rosto, disse: “Pastor, estou feliz porque Jesus me perdoou e me salvou”. Ao que o pastor respondeu: “Que bom, minha irmã. Agora, conta a bênção.”

Sempre que lembro desse episódio acabo sorrindo. Por outro lado, algumas vezes, me identifico com aquele pastor que estava querendo bênçãos palpáveis, que agradam aos olhos, aos sentidos e à razão. Acordamos vivos, com saúde e achamos que isso é bom, mas é normal. Sempre acordamos assim, até o dia em que não nos sentimos bem, ficamos doentes e daí valorizamos a saúde. Acabamos nos arrependendo de não termos levado uma vida mais saudável ou escutado os avisos que o corpo nos deu e não prestamos atenção. Aí corremos atrás do prejuízo. Ou, então, quando perdemos bens materiais e nos vemos em situações de aperto, acabamos nos desesperando. Queremos e precisamos, também, da bênção material.

Mas, raramente, pensamos como aquela velha senhora, que talvez estivesse com a saúde frágil, com o dinheiro curto ou com dificuldades relacionais, mas estava agradecida e ciente porque o principal, a maior bênção, ela já tinha recebido. Quando temos a certeza desse amor imerecido em nossas vidas, as outras bênçãos vêm, mesmo que não venham da forma como queremos, pois sabemos que Deus está cuidando de todas as nossas situações e emoções. Jamais ficaremos sem resposta. Difícil é esperar. Difícil é confiar. Difícil é entregar. Difícil é contabilizar outras bênçãos que estão chovendo em nosso jardim.

E então? Já contou e agradeceu a bênção ou as bênçãos de hoje? Se você reconhece e agradece a principal delas, pode ter certeza que a o Senhor das bênçãos estará ao seu lado, em toda e qualquer situação!

Conta as bênção, dize-as quantas são,

Recebidas da divina mão,

Vem dizê-las, todas de uma vez,

E verás surpreso quanto Deus já fez.

Zelene Reis

Post anterior
Mesmo na Tempestade
Próximo post
Caminho de volta

28 Comentários. Deixe novo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Menu