No meio do corredor

“Porque para mim tenho por certo que os sofrimentos  do tempo presente não podem ser comparados com a glória que há de ser revelada em nós.” Romanos 8:18

Na segunda-feira, dia 5 de maio, eu e meu marido fomos internados, vítimas do vírus da Covid-19. Ficamos no mesmo hospital, no mesmo corredor, mas em quartos individuais. Pedi ao médico que nos deixasse juntos, já que estávamos na mesma situação, mas não houve acordo devido aos protocolos hospitalares.

Ficamos nos comunicando pelo celular, por mensagens, pois ele não podia falar muito devido à falta de ar.  Enquanto estávamos sendo medicados, veio o resultado do exame da minha filha que também testou positivo e com os pulmões já comprometidos. Meu neto de 11 anos apresentava sintomas leves,  causados pela mesma infecção.

O médico que me assistia pediu que minha filha, também, se internasse, mas não podíamos deixar meu neto sozinho e doente. Então, como eu respondi rápido ao tratamento, recebi alta e fui terminá-lo em casa, enquanto minha filha, com os sintomas já bem avançados, dava entrada no hospital Enquanto isso, meu marido, infelizmente, não reagia à medicação. Dias negros e  complicados em que a família, a igreja e os amigos só podiam orar por nós. Meus outros filhos, à 3.000 km de distância, se desesperavam. Não tinha voo para Teresina, a viagem de carro demoraria, pelo menos, dois dias e, se eles viessem, com certeza adoeceriam, também.

Quando saí do quarto, já de alta,  fiquei parada no corredor.  Meu marido estava à 10 apartamentos de distância. O imenso corredor estava vazio. Eu não tinha autorização para vê-lo. Já havia pedido várias vezes e não deixaram. Mas, naquela fração de segundos eu pensei em burlar a segurança e ir até onde ele estava e confortá-lo, mas desisti e segui em frente. Quando penso nisso agora, me arrependo de não ter tido coragem suficiente de ir vê-lo, mas, naquele momento, jamais pensei que ele não voltaria pra casa.

A sensação de seguir andando era de pesar. Na verdade, me sentia até culpada por estar melhorando e ele não. Deixei uma mensagem no WatsApp dele contando que estava indo pra casa e a nossa filha estava sendo internada e a resposta dele foi: “Não sei agradecer a Deus por você estar melhor e nossa filha poder vir se tratar. Se for da vontade dEle, glorificaremos juntos em casa!” Foi a última mensagem que recebi dele. Logo na manhã seguinte ele foi pra UTI e depois de um dia de internação a Assistente Social, junto com a Psicóloga e a equipe médica, mandaram minha filha para casa terminar o tratamento, pois sabiam que ela, eu e meu neto precisaríamos atravessar juntos este momento tenebroso.

Pensando agora na última mensagem que recebi do meu esposo, me conforto porque sei que ele realmente glorificou a Deus! Não como eu queria, em nossa casa, mas na casa do Pai. E é com esta certeza e nesta esperança que eu me apego todos os dias.  Um dia glorificaremos juntos, como era nossa vontade, de modo perfeito, na presença de Deus, onde ele já se encontra e me espera! E todo este sofrimento e agonia serão esquecidos. Louvado seja Deus!

Zelene Reis

24/09/2020

Post anterior
Aliança
Próximo post
A difícil volta pra casa

38 Comentários. Deixe novo

  • Natalie Barreto
    outubro 3, 2020 12:30 pm

    Me arrepiei e me emocionei!
    Obrigada dona Zelene por esse testemunho de fé e de confiança em Deus.

    Responder
  • Celina Margarida
    outubro 3, 2020 12:32 pm

    Minha amiga, seus textos transbordam testemunho de amor e fé N’Aquele q é a verdade e a vida! Louvado seja Deus!

    Responder
  • Zelene querida! Deus certamente tem um propósito em tudo. E vc é exemplo vivo disso. Sua fé , sua esperança trazem alento a todos q a cercam. Um bjo

    Responder
  • Querida Zelene, glorificando a Deus por seus testemunhos e compartilhamentos tão edificantes! Deus a abençoe!

    Responder
  • Mayra Dantas Lima Matos
    outubro 3, 2020 12:49 pm

    Minha irmã que consolo saber que um dia toda lágrima será enxugada, que o nosso bondoso Deus te fortaleça!

    Responder
  • Querida irmã,me transportei naquele corredor.Você não foi mas Deus já estava lá e realmente é isso que nós consola.❤

    Responder
    • Verdade minha irmã! Deus estava no corredor comigo e no quarto com ele! E eu continuo seguindo porque Ele está comigo! ! Bj

      Responder
  • Minha amiga querida. Nao consigo avaliar o tamanho da sua dor mas consigo avaliar o tamanho da sua fé!
    Só Deus mesmo pra te fazer ir adiante. E é pela fé que vc está conseguindo.
    Siga em frente.
    Seus textos são profundos, verdadeiros e muito edificantes. Te amo❤

    Responder
    • Naná querida. Que Deus me fortaleça cada dia mais. São dias de altos e baixos, de tristeza e esperança, mas sempre seguindo em frente! Obrigada por tanto amor!!! Bjo

      Responder
  • Obrigada querida! Foi muito triste!!! Um momento de extrema solidão, mas sei que eu não estava só, por isso consegui seguir andando! Bjos

    Responder
  • Glória a Deus pela vida e testemunho do PB. Homero!!!!

    Responder
  • Joana Márcia. Teresina
    outubro 3, 2020 1:33 pm

    Querida imagino sua dor, pois estamos passando pelo meu esposo, que está doença não poupou, partiu para o Pai, em 23/07, aos 39anos de idade, deixando uma filha de 06 aninhos. Entendo os dias altos e baixos. Somos seres humanos em busca da evolução e perfeição. Sabemos que Deus sabe de todas as coisas, e que nossos queridos sempre estarão ao nosso lado nos auxiliando na caminhada, através do Cristo em Jesus, a morte do espírito não existe, somos seres eterno. Como você sabe, um dia estaremos todos juntos. Com paciência, fé e esperança precisamos seguir nossa caminhada, e assim aprendermos e ensinarmos, conforme a nossa missão aqui na escola da vida.

    Responder
    • Oh minha querida companheira de luto. Como é difícil ver o lado da cama vazio! E as lembranças que ficam em tudo que olhamos, que tocamos. O espaço vazio é imenso. Mas sei que Deus nos sustenta. O próprio dia a dia nos chama para seguir em frente e a força e confiança vem do Senhor. Orando por você, para que possamos tirar lições preciosas de tudo isso e crer que em tudo Deus tem um propósito!! Força amiga!! Deus te abençoe! Bjo

      Responder
  • Cenira Torres Viana Vieira de Alencar
    outubro 3, 2020 1:52 pm

    ???????????? Louvado seja Deus, que não nos desampara, minha querida amiga… saudades, Zelene! ❤️????

    Responder
    • Cenira, como sinto dua falta! Obrigada pela linda amizade que nos une e que se fez presente ainda mais no sofrimento! Ficamos até doentes juntas! Mas graças a Deus que preservou você e sua família! Em tudo Deus agindo!! Para a vida e para a morte! Bjos querida

      Responder
  • Marli Aparecida Garcia
    outubro 3, 2020 5:04 pm

    A fé nos eleva ao nível de que a graça nos basta!! Suas palavras me edifica e edificará a muitos que viveram, vivem e viverão suas experiências. Obrigada por compartilhar! Mulher de fé!

    Responder
  • Gerizan Rodrigues da Costa
    outubro 3, 2020 5:23 pm

    Minha amada irmã Zelene !
    Não consigo lê esses textos sem que as lágrimas rolem, mais através de cada capítulo que vc descreve vejo o quão grande é o Amor,Graça e misericórdia de Deus sobre os seus filhos. Deus te abençoe grandemente nessa nova caminhada ????❤❤????????????

    Responder
    • Obrigada minha amada irmã!! Graças a Deus porque confiamos em quem nos sustenta. Ele é o nosso socorro bem presente!!! Saudades! Bjo

      Responder
  • Zelene, que Deus te use sempre. Maravilhoso texto. Obrigado

    Responder
  • A cada texto, um aprendizado. Obrigada por compartilhar!

    Responder
  • Exemplo de resiliência e fé!

    Responder
  • Ow minha querida, não seria possível atravessar tamanho sofrimento, não fosse a esperança da alegria e glória que está por vir. Deus seja louvado!

    Responder

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Menu